CONHEÇA ILHÉUS


video


As reservas de Mata Atlântica fazem de Ilhéus e seus arredores um destino de praia com um charme a mais. Protegendo o litoral ou emoldurando trilhas, lá está a floresta e toda a sua biodiversidade. O cacau, que tanta fama deu à cidade, está presente nas fazendas abertas à visitação, enquanto os resquícios dos tempos de glória estão guardados no Centro Histórico, em forma de preservados casarões.
As praias do distrito de Olivença estão entre as mais bonitas e badaladas, point dos surfistas que ali encontram ondas perfeitas, as praias do litoral Sul chamam a atenção pela beleza e pela infra-estrutura. As mais concorridas ficam no distrito de Olivença, como Back Door e Batuba.
Casarões, palacetes e igrejas em estilo neoclássico emolduram o Centro Histórico de Ilhéus e remetem aos tempos áureos do ciclo do cacau, no início do século XX. Entre os exemplares estão a Casa de Cultura Jorge Amado, instalada na residência onde o escritor morou; e os templos de São Sebastião e São Jorge dos Ilhéus. O passeio completo inclui ainda o Bar Vesúvio, que ganhou fama internacional com o romance Gabriela Cravo e Canela, e o cabaré Bataclan, hoje transformado em espaço cultural.
As fazendas de cacau de Ilhéus e região oferecem visitas guiadas que apresentam todo o ciclo do fruto, desde sua plantação até os processos realizados após a colheita, fundamentais para a produção dos chocolates. Os tours costumam incluir degustações. As fazendas mais procuradas são Yrerê e Primavera. Esta última foi cenário da novela Renascer e oferece ainda trilhas para caminhadas ecológicas, passeios de charrete ou a cavalo e visita a um pequeno museu que reúne objetos utilizados pelos artistas da novela e relíquias centenárias.
Os encantos naturais dos arredores de Ilhéus não se restringem às praias e se espalham pelo Ecoparque do Una que, em seus 383 hectares de mata virgem preserva a Mata Atlântica. A reserva particular de proteção ambiental, criada em 1997 no município de Una, oferece passeio guiado de duas horas de duração. No roteiro estão um seringal, onde se pode observar a extração artesanal da borracha; e trilhas que levam a passarelas suspensas na copa das árvores, proporcionando uma vista espetacular e única da floresta. Com sorte, avista-se espécies ameaçadas de extinção como o mico-leão-da-cara-dourada – símbolo do parque -, macaco-prego-de-peito-amarelo e preguiça-de-coleira.
A Estrada Parque Ilhéus descortina, ao longo de seus 70 quilômetros, praias semi-selvagens, manguezais, cachoeiras, mirantes, passarelas suspensas e túneis para garantir a travessia mais segura dos animais silvestres. A rodovia também pode ser explorada a bordo de bikes, em dois trechos de ciclovia. Diversos restaurantes instalados por ali oferecem as delícias típicas da culinária baiana.
A primeira fábrica de chocolate artesanal do Nordeste fica a apenas oito quilômetros do centro da cidade. Conhecer todas as fases de produção das delícias é uma das atrações do espaço, que conta ainda com uma minifazenda e loja.
Os passeio de barco pelos rios da região levam a cenários como o da Lagoa Encantada, acessível pelo Rio Almada. São 14 quilômetros quadrados de espelho d´água, cercados por Mata Atlântica, cachoeiras, ilhas flutuantes, vila de pescadores, fazendas de cacau e uma grande diversidade animal. Próximo à lagoa ficam as caldeiras do Almada, um conjunto de quedas - a maior chega a seis metros de altura - que criam profundos buracos nas rochas, perfeitos para banhos. Os adeptos do rapel encontram no cânion da cachoeira do Apepique, também nos arredores, as condições perfeitas para a prática do esporte de aventura.








Compreendendo os municípios de Canavieiras, Ilhéus, Itacaré, Santa Luzia, Una e Uruçuca, essa região tornou-se mundialmente famosa por intermédio das histórias de amor e aventura contadas por Jorge Amado.
Produtora do fruto que dá origem ao chocolate, a Costa do Cacau, que por longo período se destacou pela riqueza e prosperidade, ainda hoje abriga considerável patrimônio arquitetônico dos tempos áureos da lavoura cacaueira. O modelo de exploração do cacau— que utilizava a vegetação nativa para fornecer sombra aos cacauais — contribuiu também para a preservação de significativos remanescentes de Mata Atlântica, hoje inseridos em Unidades de Conservação Ambiental.
Além de 200 km de praias de areias claras e águas mornas, o cenário da região é complementado por rios, lagoas, cachoeiras e cavernas.

video


***


Localizada ao sul de Salvador, em área contígua à Baía de Todos os Santos, a Costa do Dendê é composta pelos municípios de Cairu, Camamu, Igrapiúna, Ituberá, Maraú, Nilo Peçanha, Taperoá e Valença. Como o próprio nome sugere, é aqui que se concentra a cultura do dendê, palmeira que dá origem a um dos ingredientes básicos da apreciada culinária baiana, o azeite de dendê.
Devido à sua formação geográfica (litoral recortado), a Costa do Dendê apresenta condições ideais para a prática de uma variedade de atividades náuticas direcionadas ao lazer e ao esporte. Repleta de praias desertas, arquipélagos, relíquias do patrimônio histórico e pequenos povoados, a região preserva paisagens naturais intocadas, além de significativas
manifestações folclóricas e produção artesanal. Entre os cenários naturais, destacam-se mais de 100 km de praias, três grandes ilhas e a Baía de Camamu.

video



Informações turísticas no Blog <TÉCNICO em HOSPEDAGEM>


PÁGINAS





RESERVAS